Cat-1

Cat-2

Cat-3

Cat-4

Setembro 2016


Apresentado por Jeremy Rees, Soul of the Blues é um programa semanal independente dedicado ao blues, apresentado na Radio Cardiff (País de Gales, UK). Sua linha passeia entre o blues e soul, das raízes do Mississipi, passando pelo rock clássico, R&B e Southern Soul.

A apresentação ao vivo se dá nas quartas às 9 da manhã (horário de Cardiff) e a versão podcast é liberada sempre aos domingos, inclusive no iTunes. 


Soul of The Blues é membro da IBBA - the Independent Blues Broadcasters Association:http://www.bluesbroadcasters.co.uk/

 
Descrição do episodio:


This week's edition features tracks from Shakin' Stevens; Elles Bailey; Mary Jo Curry;
Thornetta Davis; Bessie's Blues; Ritchie Dave Porter; Lurrie Bell; Johnny Riley; Benjamin Bassford; Colin James; Mark Harrison; Richard Townend & The Mighty Bosscats - and on her 70th birthday, two classics from the legendary Helen Shapiro
Produced & presented by Jeremy Rees, this edition was broadcast on Radio Cardiff 98.7FM on Wednesday 28th September 2016, and was also heard in syndication on radio stations in Australia, Germany, Greece, New Zealand, Puerto Rico, Spain, USA and in the UK.




...

O Podcast Jazzy existe desde 2008 e é produzido por Emerson Lopes, jornalista e pesquisador do jazz. Durante dois anos foi publicado no site do Estadão. Em junho de 2011 passou a ser publicado de forma independente, e com algumas modificações em seu formato. No site da Distintivo Blue foi publicado de 2010 até 2015 (todo o conteúdo não referente à própria banda agora é publicado aqui, mantendo o trabalho de apoio e divulgação do blues/jazz nacional, no qual a DB se tornou referência).

Emerson Lopes também é autor do livro Jazz ao Seu Alcance, lançado em 2009, com reedição em 2013.

Links: Twitter Jazz ao Seu Alcance | Mixcloud





...

Retransmissão da Rádio Blues Internacional, com ouvintes registrados em mais de 119 países e gravações ao vivo diretamente do “Blues Music Awards” (maior e mais prestigiada premiação anual de blues, organizada pela Memphis Blues Foundation) , entrevistas , performances de artistas ao vivo na rádio etc. Apresentação e produção de uma das maiores autoridades em blues, Jesse Finkelstein.

Retransmissão da Rádio Blues Internacional, com ouvintes registrados em mais de 119 países e gravações ao vivo diretamente do “Blues Music Awards” (maior e mais prestigiada premiação anual de blues, organizada pela Memphis Blues Foundation) , entrevistas , performances de artistas ao vivo na rádio etc. Apresentação e produção de uma das maiores autoridades em blues, Jesse Finkelstein.



...

Once again, I’ve got a pretty big variety of blues, fitting together a bunch of puzzle pieces to shape a coherent picture. Lil’ Ed & The Blues Imperials, The Della Grants, Hitman Blues Band, Bruce Katz Band (Featuring Chris Vitarello), and Devon Allman are among the old and new names. It’s a variety of blues you may not find anywhere else, but always a variety of the finest blues you’ve never heard – the 604th Roadhouse.

The Roadhouse Podcast 604 Show Notes
Spotify user? Contribute to the Superstars of The Roadhouse Spotify playlist.

Jimmy Adler
Cordelia (feat. June Core, Jim Pugh, Kid Andersen, & Eric Spaulding)
self-released
Grease Alley
Amazon mp3 | iTunes
Dennis Gruenling
Won’t You Come Back
Vizztone
Ready Or Not
Amazon mp3 | iTunes
Lil’ Ed & The Blues Imperials
Whiskey Flavored Tears
Alligator
The Big Sound of Lil’ Ed & The Blues Imperials
Amazon mp3 | iTunes
Michael Burks
You Ain’t Slick
Iron Man Music
I’m A Bluesman
Amazon mp3 | iTunes
The Della Grants
Backbiter Blues
self-released
First Fix
Amazon mp3 | iTunes
The Apocalypse Blues Revue
Evil Is As Evil Does
Provogue
The Apocalypse Blues Revue
Amazon mp3 | iTunes
Hitman Blues Band
Hammer Down
Nerus Records
The World Moves On
Amazon mp3 | iTunes
The Fabulous Thunderbirds
Drowning On Dry Land
Severn
Strong Like That
Amazon mp3 | iTunes
Bruce Katz Band (featuring Chris Vitarello)
All Torn Up
American Showplace Music
Out From The Center
Amazon mp3 | iTunes
Little Mike
Smokin’
self-released
How Long?
Amazon mp3 | iTunes
Tweed Funk *
Don’t Give Up
Tweed Tone Records
Come Together
Amazon mp3 | iTunes
Aireene Espiritu
Witch For A Night
Little Village Foundation
Back Where I Belong
Amazon mp3 | iTunes
Devon Allman
Find Ourselves
Ruf Records
Ride or Die
Amazon mp3 | iTunes
Chris Thomas King
I Can Fly
21st Century Blues Records
Les Bleus Made In Louisiana EP
Amazon mp3 | iTunes
Music Bed:
Tinsley Ellis
Hot Potato
X5 Music Group
Best Instrumental Blues
Amazon mp3 | iTunes
* The Roadhouse Premium, Deluxe and App only.

Creative Commons License



...

Apresentado por Jeremy Rees, Soul of the Blues é um programa semanal independente dedicado ao blues, apresentado na Radio Cardiff (País de Gales, UK). Sua linha passeia entre o blues e soul, das raízes do Mississipi, passando pelo rock clássico, R&B e Southern Soul.

A apresentação ao vivo se dá nas quartas às 9 da manhã (horário de Cardiff) e a versão podcast é liberada sempre aos domingos, inclusive no iTunes. 


Soul of The Blues é membro da IBBA - the Independent Blues Broadcasters Association:http://www.bluesbroadcasters.co.uk/

 
Descrição do episodio:

This week's edition features tracks from Sari Schorr; Two Blue Band; Will Wilde; Vaneese Thomas; Carl Weathersby; Tanya Piché Blues Band; The KING BROTHERS; Helen Shapiro
Charlie & The Bluescats; Hannah Williams & The Affirmations; Tracy K and King King

Produced & presented by Jeremy Rees, this edition was broadcast on Radio Cardiff 98.7FM on Wednesday 21st September 2016, and was also heard in syndication on radio stations in Australia, Germany, Greece, New Zealand, Puerto Rico, Spain, USA and in the UK




...
Vivi Campos é produtora e apresentadora do BluesJazzeando

O programa BluesJazzeando é apresentado todas as quintas, das 19h às 20h, direto da Argentina, com produção e apresentação da atriz e locutora Vivi Campos. Siga-a no Mixcloud e nunca mais perca um programa.

Descrição do episódio:


"BluesJazzeando"
Un viaje en el Tiempo, con historias y ritmo!
-Programa De Radio-Idea, Producción y Conducción: VIVI CAMPOS
PRODUCCIÓN EJECUTIVA: "CABALLITO BLUES" José Luis Castagnaro
2da. Temporada -TODOS LOS JUEVES, DE 19 A 20 HS,
SALIDAS por www.radioarroba.com
* PROGRAMA Nº 30 - JUEVES 22-09-2016- con ARTISTAS INVITADOS "EN VIVO" :
" NATALIA CHICA CIEL - CARLOS BADA - JAVIER GOFFMAN "
Adelantando la Apertura de la fecha de la PRESENTACIÓN OFICIAL del PRIMER DISCO SOLISTA DE "SOL BASSA": " DEDOS NEGROS", con un Homenaje a MEMPHIS MINNIE.
Un Show IM-PER-DI-BLE en EL ALAMBIQUE......CON LOCALIDADES AGOTADAS!!!!!
Contactate a nuestra FAN PAGE: www.facebook.com/BluesJazzeando
Programas grabados temporada 2015/2016:
Vivi Campos
"BluesJazzeando" by VIVI CAMPOS: vivkaart.wix.com/vivicampos





...
I. Malforea e Lavus Bittencourt, os Diglett Joes

Por I. Malforea
Volta e meia criamos playlists que usamos por aí como som ambiente nos shows. Após criar a Malfomusic to save us from that shit me deparei com um problema: como a deixei em modo offline no tablet, e ela é infinita (sempre adiciono novas músicas, conforme vou lembrando ou escutando), acabei deixando o dispositivo pesadíssimo e lento, o que não é nem um pouco interessante. Essa playlist é sempre usada em momentos de pausa nos shows dos Diglett Joes, como antes, depois ou nos intervalos.

Tirei do modo offline e a tornei impraticável, já que nem sempre temos wi-fi decente onde tocamos. Resolvi, então, escolher apenas 30 músicas e deixar a playlist fixa. As músicas vieram da playlist anterior e foram pensadas para funcionar em qualquer lugar em que estejamos, logo, não há músicas muito agressivas ou experimentais, mas ainda assim temos ótimas canções. Obviamente, temos várias da Distintivo Blue, já que um dos objetivos é promover a nossa música.

Intercaladas com as autorais, temos nomes como Skank (do ótimo disco Cosmotron), a mineira Audergang, com Mineiro e Blueseiro, faixa muito legal, que curto bastante, David Gilmour, com uma de suas melhores faixas, em minha opinião, This Heaven, do álbum On an Island, a minha faixa favorita da Legião Urbana, Eu era um lobisomem juvenil, uma faixa do A-Ha, Mark Knopfler, Paralamas, Hillbilly Rawhide, The Allman Brothers Band, 4 Non Blondes, Pata de Elefante e por aí vai. É uma verdadeira salada de boas músicas, de várias vertentes, mas que fazem parte das nossas influências.

Esta, ao contrário da gigantesca anterior, pode ser executada no modo normal, mas você também pode ouvi-la no modo aleatório. Funciona dos dois jeitos. De tempos em tempos criarei outros "volumes" desta playlist, sem deletar a anterior. Ouça em alto volume e fique à vontade para sugerir músicas para a próxima. Let's jam!




...

A seção ESPECIAIS traz a você conteúdo exclusivo da BLUEZinada!, geralmente seriado, onde cada parte será publicada num intervalo pré-definido, como semanalmente, por exemplo. Assine nossa newsletter (ao lado) para jamais perder um dos nossos posts. Escolha o tema abaixo e confira:



Baseada no Trabalho de Conclusão do Curso de Licenciatura em Música da Universidade Federal do Rio de Janeiro produzido por Leonardo Nascimento, esta série de posts aborda o blues tanto no contexto histórico quanto em sua estrutura, além de alguns dos seus principais ícones. Destaque para a abordagem sobre o aprendizado do estilo musicalmente, onde o blues brasileiro marca presença. 
(em publicação)


A BLUEZinada! desenvolve um trabalho de fomento à cena local de sua cidade-sede, Vitória da Conquista-BA, produzindo vídeos de artistas locais, com músicas autorais e formato minimalista, acústico, ainda que saia do nicho do blues/jazz/country. Os vídeos são produzidos gratuitamente e disponibilizados em nossos canais, além de entregues ao próprio artista para que use da maneira mais adequada à sua autodivulgação.



Luiz Gonzaga: rei do baião, rei do nordeste
Esta série de nove capítulos analisa a trajetória do maior ícone musical do nordeste brasileiro. Luiz Gonzaga passou de um simples garoto da zona rural a um símbolo tão ou mais popular quanto Padre Cícero e Lampião, as duas figuras máximas da região, até seu aparecimento. Escrito por I. Malforea, baseado em seu TCC do curso de Licenciatura em História pela Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia.



...

Apresentado por Jeremy Rees, Soul of the Blues é um programa semanal independente dedicado ao blues, apresentado na Radio Cardiff (País de Gales, UK). Sua linha passeia entre o blues e soul, das raízes do Mississipi, passando pelo rock clássico, R&B e Southern Soul.

A apresentação ao vivo se dá nas quartas às 9 da manhã (horário de Cardiff) e a versão podcast é liberada sempre aos domingos, inclusive no iTunes. 


Soul of The Blues é membro da IBBA - the Independent Blues Broadcasters Association:http://www.bluesbroadcasters.co.uk/

 
Descrição do episodio:

This week's edition features tracks from Brigitte Rios Purdy; The Alabama Lovesnakes;
Jettricks feat. Katie Bradley; Johnny "Guitar" Watson; Sunday Wilde; The Cadillac Kings;
Bonnie Pointer; Northbound; Southbound; Jude Adams; Elizabeth Hansen; Mark Harrison;
Jenny Wren And Her Borrowed Wings; Elles Bailey - and in the lead up to Helen Shapiro's 70th birthday next month a great song from her Blues Jazz repertoire.
Produced & presented by Jeremy Rees, this edition was broadcast on Radio Cardiff 98.7FM on Wednesday 14th September 2016, and was also heard in syndication on radio stations in Australia, Germany, Greece, New Zealand, Puerto Rico, Spain, USA and in the UK.




...
Vivi Campos é produtora e apresentadora do BluesJazzeando

O programa BluesJazzeando é apresentado todas as quintas, das 19h às 20h, direto da Argentina, com produção e apresentação da atriz e locutora Vivi Campos. Siga-a no Mixcloud e nunca mais perca um programa.

Descrição do episódio:


"BluesJazzeando"
Un viaje en el Tiempo, con historias y ritmo!
-Programa De Radio-Idea, Producción y Conducción: VIVI CAMPOS
PRODUCCIÓN EJECUTIVA: "CABALLITO BLUES" José Luis Castagnaro
2da. Temporada -TODOS LOS JUEVES, DE 19 A 20 HS,
SALIDAS por www.radioarroba.com
* PROGRAMA Nº 29 - JUEVES 15-09-2016- con ARTISTAS INVITADOS "EN VIVO" :
" CAOBA JAZZ BAND " con su Fundador y Director: OSCAR CARO
Presentando su 10º DISCO que evoca a Tiny Parham , anunciando su nuevo CD en proceso, el nº 11: "CAOBA X CAOBA" y adelantando su Próximo Show en "La Casa del Poeta" (Morón), como desde hace 18 AÑOS, el 3er. Sábado cada 2 meses.
Contactate a nuestra FAN PAGE: www.facebook.com/BluesJazzeando
Programas grabados temporada 2015/2016:
Vivi Campos

"BluesJazzeando" by VIVI CAMPOS: vivkaart.wix.com/vivicampos




...
Os Diglett Joes são uma subdivisão da Distintivo Blue

O QUE: Diglett Joes
ONDE: Espaço Gastronômico Chef Ebiner - Bosque da Paquera, Vitória da Conquista

QUANDO: Hoje (16/09) às 21h
QUANTO: 0800


O QUE: Diglett Joes
ONDE: Casa Chequer Avenida Alberto Leal 45 Candeias, Vitória da Conquista

QUANDO: Domingo (18/09) ao meio dia
QUANTO: 0800




...
| Um aperitivo para o ótimo disco,  que já está pronto |


O duo sergipano The Baggios lança, nesta sexta (16/09), o primeiro single do álbum Brutown, viabilizado por crowdfunding e produzido no estúdio Toca do Bandido (RJ). O lançamento, um dia após a distribuição dos downloads antecipados do álbum aos colaboradores, traz a participação de Emmily Barreto, da banda potiguar Far from Alaska.

A campanha de financiamento foi bem-sucedida e alcançou 81% do total esperado, demonstrando que o potencial das redes sociais na relação artista-fã é eficaz e cada vez maior, sem a intervenção de gravadoras. O álbum está previsto para lançamento no próximo dia 23. O single já estará disponível nas principais plataformas de streaming. Nos resta esperar.

Acompanhe a banda:

Site oficial
Facebook
Twitter
Instagram



...



...

Vídeo oficial da nova versão de "What is and What Should Never Be", da box The Complete BBC Sessions, com lançamento em 16 de setembro de 2016. Esta versão de 1969 e estava guardada até então.



...
| "Tipo exportação" é a mais perfeita definição deste disco baiano |

A peculiar capa do disco, feita de juta, com letreiro em relevo
por I. Malforea
Falar deste disco é especial para mim: nos primórdios de minha carreira como músico existia uma banda de blues bastante conhecida, que eu ainda não tinha visto ao vivo, chamada MPBlues. Tocavam os standards do estilo, como qualquer banda no mundo, mas também faziam versões bluesy de músicas brasileiras. Chegaram até a gravar Tigresa e fazer um clipe. Tinham forte influência da Blues Etílicos (RJ) na sonoridade e na atitude. Eram tempos onde a internet era bastante precária e ainda recebíamos flashs animados por e-mail.

Na primeira vez em que os vi ao vivo, tocamos num evento público que acontecia todo ano aqui na cidade, o palco do rock na micareta. Eu, à frente da banda Tomarock, que tocava basicamente covers de rocks setentistas, como Led Zeppelin, Deep Purple e Steppenwolf, abri o evento. A MPBlues, tão falada por todos, fecharia o evento. Seria minha chance de vê-la. E assim foi: a primeira banda de blues que vi ao vivo na vida. Nessa ocasião, o gaitista Diro Oliveira chamou ao palco, para uma participação especial, o guitarrista Rômulo Fonseca. Antes, falou: "Rômulo está com uma banda para tocar rock n' roll e precisa de um vocalista. Se houver algum aí, entre em contato."

Resumindo, em pouco tempo eu era o vocalista da tal banda, estava ensaiando na casa desse gaitista e dividindo o palco com ele. A minha nova banda, The New Old Jam, passou a ser uma espécie de "irmã mais nova" da MPBlues. Onde uma tocava, sempre tinham participações especiais de membros da outra. Ambas fazendo covers. Eu era um garoto completamente verde e esses caras me mostraram o maravilhoso mundo dos palcos. O tempo passou, a MPBlues se tornou Café com Blues, e metade da The New Old Jam fundou a Distintivo Blue.

A Café com Blues já veio com uma proposta totalmente nova: músicas autorais, falando do cotidiano da zona rural da nossa região, o sudoeste da Bahia, que é riquíssima culturalmente. Não é à toa que o mestre Elomar se tornou uma lenda da world music, cantando este mesmo sertão. A formação da banda era praticamente a mesma da MPBlues e o cuidado que tinham com a proposta me inspirou bastante também. O trabalho era sério e conceitual.

Em 2008 o CD foi lançado, com um belíssimo trabalho gráfico: ao invés da tradicional e frágil capinha de acrílico, temos aqui um livreto, com capa bastante resistente, forrada com juta, aquele material usado para as sacas de café. Muito bonito e perfeito para a proposta. "Os Diros", como dizia uma amiga, também são ases na arte serigráfica, e imprimiram o logotipo da banda em relevo, com tinta emborrachada. A prova de que o trabalho foi muito bem feito é que meu CD ainda está praticamente novo, aqui em 2016.

No interior, um encarte de 32 páginas em papel reciclado, contendo as letras das músicas, reproduções de obras de artistas plásticos da região e textos de personalidades da cidade e amigos, como professores, jornalistas e pesquisadores. Após a última página está o disco, cujo espelho simula um disco de vinil. Realmente, só aí já temos um produto "tipo exportação".

Agora vamos às músicas: O disco abre com Blues na Caatingueira, autoria do baterista Thomaz Oliveira, que também era baterista da The New Old Jam, e autor de músicas que você conhece através da Distintivo Blue, como Na Trilha do Blues e De Cara no Blues. Esta é o que chamaríamos de música de trabalho do disco: ganhou videoclipe e foi bastante difundida, de acordo com as possibilidades. Confira aqui o clipe:


Lei Áurea, trata do fim da escravidão dos negros no Brasil e o problema que gerou ao "despejar" milhares de pessoas sem estrutura na sociedade do comércio. O fim da lei não significava uma vida digna, e assim nasceram as periferias do Brasil e sua gente marginalizada e esquecida pelo Estado. De Repente um Blues é uma ode aos repentistas sertanejos, verdadeiros mestres do improviso, tal qual os bluesmen e jazzistas do norte do continente. A ideia do paralelo entre o sul dos EUA e o nordeste do Brasil, aliás, está presente em todo o disco.

Cultura abraça e comemora a identidade brasileira e a liberdade de expressão, negando a ideia de que o sertanejo deve ter vergonha de sua realidade: deve sim ter orgulho! Um Sertão Belo conta o drama do caatingueiro que luta contra a seca para sobreviver, remetendo a Luiz Gonzaga. A esperança é, muitas vezes, o que mantém esse povo firme. A religiosidade típica dessas regiões também se mostra importante nesse quesito. Mudando de ângulo, Jornal da Manhã, de Paulo Macedo, músico e compositor consagrado e conhecido na região, já nos transporta ao ambiente urbano e as eternas más notícias que nos acostumamos a receber.

Navio Negreiro volta aos tempos do Brasil colônia, com a viagem sem volta dos negros vendidos como escravos pelos próprios africanos aos europeus (vale lembrar que a África sempre foi lar de centenas de etnias diferentes, onde não existia o conceito moderno de "união negra": qualquer estrangeiro – leia-se "não pertencente à aldeia" –  poderia ser feito escravo e vendido, e assim se deu). Do outro lado do oceano, no Brasil e nos EUA, a escravidão gerou gritos e canções de desabafo e tristeza, que se tornaram o blues e as diversas manifestações musicais ancestrais brasileiras, como o samba, por exemplo.

Umbluseiro no Sertão é uma declaração de amor a uma árvore típica da região: o umbuseiro. O umbu é abundante e perfeitamente integrado à culinária local. Nesta faixa temos a participação de mais artistas regionais, como Manno di Sousa, Walter Lajes e o grande Xangai, recitando trecho folclórico. Noel, do guitarrista Julio Caldas, é a única canção que foge da temática geral do disco, mas prepara o ouvinte para a faixa final, que celebra uma manifestação cultural típica da zona rural do sudoeste da Bahia, intimamente ligada à religiosidade, passada de geração a geração desde tempos remotos: o reisado. Para isso, participam da faixa, grupos de reis e mais artistas locais. Tudo isso ao som de pifes e gaita, zabumba e guitarras. Este é o Brasil.

Temos aqui um grande disco de música verdadeiramente brasileira. Claro, há aqueles que se queixam que não é blues, mas temos de ouvi-lo com a mente aberta: assim como existe Chuck Berry e o Sepultura no rock, existe Muddy Waters e Café com Blues no blues. Como sempre defendemos ao explicar nosso próprio trabalho, já existem centenas de músicos excelentes tocando o blues tradicional no Brasil. Por que precisamos de mais um "woke up this morning"?

Os puristas que me desculpem, mas não há razão para o blues, pai de estilos tão dinâmicos como o rock, o jazz, a soul music, se enterrar APENAS no tradicional. Claro, ele é necessário e deve ser protegido, mas há como o clássico conviver perfeitamente harmônico com o moderno. A música, felizmente, não é física, portanto, dois ou mais corpos ocupam o mesmo espaço. Em sua musicoteca pode sim haver vários estilos diferentes de blues. Aqui temos um legítimo disco de BRBlues, o blues autoral brasileiro, com características próprias, não se limitando a simplesmente copiar o blues americano, fazendo versões desajeitadas em português ou num inglês cheio de sotaque.

Falar do blues, sobretudo nacional, é o papel da BLUEZinada!, portanto seria impossível não falar da Café com Blues. Atualmente a banda está praticamente desativada, com apresentações cada vez mais raras. A formação já mudou consideravelmente desde o primeiro disco, mas já há várias canções novas para um segundo, já prometido, inclusive com a participação do ator Jackson Costa recitando poemas, aproximando o grupo cada vez mais da música regional e se distanciando do blues.

Se, quando do lançamento do disco, a banda possuía um website bastante interessante, agora é tarefa difícil encontrar material em boas condições na internet. Esta foi minha grande dificuldade ao tentar abordar a banda no site. Então, tive a ideia de entrar em contato com o próprio Diro e pedir autorização para postar o disco de forma profissional nas principais plataformas de streaming. Com muita alegria, recebi um "sim" como resposta e, finalmente, aqui está o disco da Café com Blues eternizado na web. Como historiador de formação, músico do BRBlues e amigo da banda, fico muito satisfeito de ter recebido esse "poder" de levar adiante esse trabalho tão caprichado e sincero.

Os fonogramas vieram do meu próprio CD e a foto da capa é a foto do meu disco. Felizmente todas as músicas já tinham seus ISRC, o que facilitou bastante: se eu tivesse de gerar esses códigos, eu seria inevitavelmente creditado como produtor, e não é essa a minha intenção. Disponibilizei o disco apenas em plataformas onde você não precise pagar por ele. Mesmo na ONErpm, a minha distribuidora, que possui uma loja virtual para downloads, o disco é gratuito. Não sei se a banda retornará suas atividades um dia, com direito a site atualizado, perfis ativos nas redes sociais, etc, mas me certificarei de que não seja esquecida e continue disponível online enquanto isso não acontecer. Senhoras e senhores, com prazer, apresento-lhes a banda Café com Blues!



Formação no disco:
Diro Oliveira - vocal, flautas e gaitas
Júlio Caldas - vocal, guitarras e violas
Thomaz Oliveira - vocal bateria
Lúcio Ferraz - guitarras e violões
Luciano PP - baixo
Horton Macedo - sax e flautas

Banda de apoio:
Paulinho do Trombone - trombone
Daniel Novaes - trompete
Bazé - percussões

Participações:
Tança da Gameleira
Xangai
João Omar
Otavio Castro
Bule-Bule
Antônio Queiroz
Seu Raimundo Ribeiro
Sinval Andrade
Grupo Os Três Reis Magos
Cláudia Rizo
Manno di Sousa
Walter Lajes
Dahora

Siga a Café com Blues no Spotify também:



...

Leia!

Ouça!

Assista!

Cat-5

Cat-6